Educação em Pauta

Caçadores de balelas – fato ou fake?

Projeto do 8º ano coloca os estudantes de frente com uma série de notícias que podem ser verdadeiras ou não; o desafio é checar e analisar diferentes fontes, descobrir o que é real e o que é desinformação

Autoria: Haroldo Bueno (Geografia) e Robson Zago (Ciências) – Professores do 8º ano

O projeto Adolescência em Foco, do 8º ano, incorpora ao cotidiano escolar experiências fora da sala de aula, como o Estudo do Meio. Este ano, o tema deste estudo é Mídia, Fotografia e Adolescência – Fique por Dentro. Como parte desse contexto, os alunos participaram de uma atividade interdisciplinar sobre fake news e checagem de fatos, mediada pelos professores Robson (Ciências) e Haroldo (Geografia). Nesta etapa, eles puderam desenvolver o pensamento crítico e compreender a importância da conscientização para o combate à disseminação de informações falsas no ambiente digital.

Essa atividade interdisciplinar foi realizada a partir de escolhas de estratégias pedagógicas aplicadas com o propósito de possibilitar aos estudantes a compreensão dos fundamentos da checagem de fatos. Dessa forma, a promoção da educação midiática foi consolidada entre os alunos, buscando desenvolver habilidades de análise, capacidade de diálogo e espírito crítico.

Por meio de orientações, roteiros de pesquisa, ferramentas e guias de checagem para comprovação da veracidade dos fatos, além da confiabilidade de fontes e sites, os alunos analisaram notícias que circularam nas redes sociais, atribuindo a elas o caráter de confiabilidade ou não; eles puderam identificar notícias procedentes e fiéis à realidade, e outras que foram totalmente desmascaradas, pois se fundamentavam em informações falsas.

Foi um momento pedagógico divertido, interativo e educativo. A atividade envolveu os/as estudantes em um processo de investigação e análise de notícias, atuando como o que chamamos de “caçadores de balelas”.

Para a execução do projeto, a atividade foi aplicada nas seis turmas do 8º ano, divididas de seis a oito grupos. Depois da apresentação da proposta à sala, cada grupo recebeu um kit do jogo. Todos os alunos foram autorizados a utilizarem dispositivos móveis (smartphones, tablets ou notebooks) para a atividade. Em seguida, os objetivos do jogo foram apresentados para os grupos e foi dado início à dinâmica.

Cada aluno escolheu aleatoriamente uma das notícias para checagem. Os estudantes precisaram navegar na internet e fazer pesquisas voltadas à averiguação, de modo a checar se o que havia sido relatado na notícia do cartão escolhido estava adequado. Nesse momento, puderam consultar o Guia de Checagem de Fatos, a fim de identificarem ferramentas úteis e estratégias de sondagem.

Depois de concluir a verificação, os integrantes de cada grupo compararam seus resultados, discutiram e tomaram uma decisão coletiva em relação a cada notícia apresentada.

No final, cada grupo apresentou para toda a sala um relatório com identificação de notícias verdadeiras, falsas e distorcidas, com o objetivo de garantir que a informação apropriada e de qualidade chegasse a todos.

As discussões promovidas pelos grupos e sob a mediação dos professores foram bastante ricas e protagonizadas pelos próprios estudantes, com necessidade mínima de intervenção do professor. O resultado do jogo não era o mais importante. A importância, de fato, estava no ato de procurar e checar notícias. O principal propósito era o método.

Além disso, esperava-se que os estudantes se apropriassem das ferramentas e habilidades propostas nesta atividade e se transformassem em “multiplicadores de ferramentas de combate à desinformação e às notícias falsas (Fake News)”, tão nocivas para a nossa jovem democracia brasileira.

Esta experiência educacional é muito importante para compreendermos a relevância da qualidade da informação à qual todos nós temos acesso. A plena cidadania depende do acesso democrático a informações confiáveis. Como educadores, temos o compromisso de garantir a formação educacional crítica e cidadã de nossos alunos.

Em resumo, conduzir uma atividade sobre fake news com verificação de fatos, representa uma valiosa oportunidade para promover a capacidade de discernimento dos estudantes, contribuindo assim para sua formação cidadã responsável no mundo atual. Que as mentiras alheias não confundam nossas verdades!

Você também pode se interessar
Tags: 8º ano, atividade sobre fake news na escola, ensino fundamental II, projeto sobre fake news no 8º ano

Posts similares