Educação Infantil

Interferências gráficas: proposta para alimentar o desenho infantil

“Uma das funções importantes do desenho, no desenvolvimento infantil, é ser uma situação complexa e muito rica de criação e apropriação do símbolo, que fica, então, “gravado” no suporte e, assim, se oferece ao processamento visual. A criança tem diante de si um produto final de seu exercício simbólico. A partir daí ela passa a trabalhar a representação que realizou como um objeto de percepção já significado” – Elvira Souza Lima

Autoria: Gisele Magalhães Coli, professora do Jardim I e Pré da Educação Infantil do Colégio Santa Maria.

Desenhar não é inato, as experiências “riscantes” e a diversidade de possibilidades alimentam esse processo criativo, afetivo, que expressa sentimentos, sensações e comunica aprendizagens.

Variação de materiais

Além das experiências motoras e da educação dos sentidos, uma das possibilidades que nutrem o desenho é o uso de interferências gráficas, que podem ser percebidas, por exemplo, na variação dos suportes, nos tamanhos e gramaturas de papéis, nas formas das folhas, nas texturas. São até mesmo elementos fixados no papel, como linhas, silhuetas e partes de figuras humanas, de animais ou objetos, colagens que convidam as crianças a transgredirem em seus desenhos e composições.

Podemos variar os tipos de riscadores, ofertando canetinha, lápis de cor, giz de cera, carvão, cotonete umedecido em tinta, pincel com tinta, ou seja, riscadores que exigem um traçado diferente e habilidades específicas ao segurá-los e utilizá-los. Dessa forma, a criança produz marcas, efeitos e impressões nos desenhos, resultando em algo sempre encantador, pois envolve autoria, emoção e criação!

Pano de fundo

Em adição a tudo isso, vale citar que as narrativas que acompanham as produções gráficas e os desenhos geralmente carregam histórias que comunicam percepções das crianças acerca do que pensam sobre as vivências cotidianas, as experiências pessoais, afetivas, de sentimentos e emoções. Não é exagero dizer que são uma maneira delicada e poética de representar os saberes e a vida.

Ou seja, desenhos e pinturas em diferentes técnicas ajudam no desenvolvimento das crianças, enriquecendo o repertório, deixando fluir a imaginação e a criação com liberdade, segurança, autonomia e autoconfiança.

Você também pode se interessar
Tags: ,

Posts similares

Menu