Incentivo à Leitura, Língua Inglesa

Por que ler os clássicos?

Ressignificando leituras e construindo diálogos entre as aulas de Língua Portuguesa e Inglesa com as turmas do 9º ano do Santa Maria.

Autoria: Rita Sogi, professora de Português, Mara Bussoti e Victor Fiorotti, professores de Inglês, todos do 9º ano do Ensino Fundamental II

Italo Calvino, em sua obra “Por que ler os clássicos?”, já nos apontou um primeiro passo para o fazer pedagógico com a Literatura. Segundo o escritor, “os clássicos são livros que, quanto mais pensamos conhecer por ouvir dizer, quando são lidos de fato, mais se revelam novos, inesperados, inéditos”.

Nesse sentido, entendemos que a releitura dos livros clássicos permite que o aluno reconstrua costumes, fatos históricos e socioculturais de uma época, e também que compreenda melhor o seu passado e o passado da humanidade. O trabalho de releitura e reconstrução textual ainda possibilita ao estudante criar pontes com o presente, por meio de um profundo processo dialógico entre a obra original e o contexto sócio-histórico atual.

Atividades com dois títulos

Partindo do livro “O retrato de Dorian Gray”, de Oscar Wilde, romance que narra a história de um rapaz narcisista, incapaz de reconhecer as dores e sofrimentos das pessoas ao seu redor, as turmas do 9º ano foram convidadas a pensar: e se Dorian Gray fosse nascido na contemporaneidade, como seria/agiria?

Assim, após finalizarem a leitura por meio de estratégias de compreensão textual em Língua Inglesa, os estudantes se organizaram em pequenos grupos e reescreveram em inglês um depoimento a partir do ponto de vista da personagem Dorian Gray, relatando as mazelas e os narcisismos da vida contemporânea.

Ressaltamos, aqui, a capacidade de construir pontes entre a obra original e o contexto atual por meio da Língua Inglesa: Dorian assumiu, ao longo dos textos, o papel de um adolescente narcisista, que apenas pensava em angariar “likes” para as suas redes sociais, pouco se preocupando com as pessoas ao seu redor. Por fim, os grupos foram desafiados a construírem representações visuais para as personagens descritas a partir de suas características.

Outro ponto de partida foi o clássico “Hamlet”, de William Shakespeare, leitura solicitada por Língua Portuguesa. A obra, entre outras famosas e memoráveis frases, traz o monólogo “Ser ou não ser?” – que pode, à primeira vista, parecer indecifrável. Entretanto, uma leitura atenta e reflexiva leva o leitor a perceber qual questionamento filosófico o príncipe dinamarquês tem a respeito das tristezas, decepções, angústias do ser humano e faz com que ele se pergunte se vale a pena existir ou não.

Como seria hoje esse monólogo de Hamlet, levando em consideração o mundo atual – o mundo virtual, rodeado e influenciado pelas redes sociais – onde todos têm que se mostrar felizes? Em resposta a esse questionamento, as turmas realizaram incríveis produções em vídeos com uma revisitação à célebre obra.

O resultado

Para conhecer alguns trabalhos de Língua Inglesa baseados na obra “The Picture of Dorian Gray”.

• Me and my pretty face! – Bruna Pereira, Juliana Prado, Maria Clara Simões, Maria Fernanda Neves, Raphaela Goia (9º A)
• The secrets about my life – Ana Clara Cardoso, Júlia Yuda, Mariana Morando, Rebeca Zilio and Sophia Geraldi (9º F)

Acesse os links para ver alguns dos vídeos de Língua Portuguesa baseados na obra “Hamlet”:

Trabalho de Alice Sartorel dos Santos, Carolina Naves Miguel e Rudah Rabello Chasseraux

Trabalho de Ana Beatriz Belluzzo Borba Pardini, Júlia Sant’ana, Luiz Gustavo de Souza Tessaro, Nicolas Sabra Bressan e Raíssa Rios Queiroz do Nascimento

Trabalho de Amanda Martins Cunha, Ana Carolina Pestana dos Reis Gustavo Martins e Sá, Maria Eduarda Netto Veras e Maria Luísa Picolo Annesi

Você também pode se interessar
Tags: ,

Posts similares

Menu