Metodologias Ativas

Aprendizagens colhidas na horta

É tempo de colheita, resultado da semeadura, do plantio e de cuidados constantes para o crescimento. É hora, então, de celebrar os frutos!

Autoria: Gabriela Kraft e Rita Lázaro, professoras do 1º ano do Ensino Fundamental do Colégio Santa Maria

Ao vivenciar as diversas etapas do desenvolvimento das hortaliças, alunos e alunas do 1º ano do Ensino Fundamental do Santa Maria apropriam-se de todo o processo e ampliam seu olhar para a natureza que os cerca, sentindo-se pertencentes e responsáveis pela sua preservação.

Eles adquirem um novo olhar para o verde ao seu redor, com atitudes de respeito, responsabilidade e amor para com os seres vivos. Observando, aprendem que é preciso cuidar, identificar as necessidades e acompanhar bem de perto para colher os frutos no tempo certo. Assim é com todos os alimentos.

Aprender como se desenvolvem os vegetais, essenciais para uma alimentação balanceada e saudável, tem um valor inestimável para crianças dessa faixa etária. Preparar em casa os alimentos com as hortaliças colhidas traz um saber para a vida, pois, colocando a mão na massa, acompanhando e cuidando de todo o processo de desenvolvimento, esses pequenos estudantes constroem as aprendizagens com significado. Esse é o nosso objetivo com o projeto Alimentação Equilibrada se Aprende na Infância.  

Mãozinhas em contato com a natureza

Preparar a terra, lidar com as sementes, as mudas, observar e tratar, retirar as ervas daninhas, conhecer as ervas de tempero, as de chás reconhecendo as folhas, experimentando as diferentes texturas, aromas e sabores, trazem conhecimentos preciosos que se aliam a tantos outros e se expandem, gerando prazer ao aprender e vontade de saber mais.

Para as crianças, cada investigação na horta após o plantio é a descoberta das transformações e como se explicam essas mudanças. Elas questionam, discutem, levantam hipóteses, comprovam, criam condições… Aprendem o que depende de seus cuidados e o que é resultado do próprio desenvolvimento dos vegetais em seu crescimento, com suas particularidades e diferenças.

É uma experiência potente, que promove tanto a formação de habilidades cognitivas, quanto sociais e emocionais. Quando chega a hora de colher, esses alunos reconhecem que não se trata de um milagre que a terra oferece, mas sim o resultado de planejamento, trabalho e acompanhamento contínuo. Quanto valor tem o trabalho de quem cultiva nossos alimentos!

“…que a importância de uma coisa não se mede com fita métrica nem com balanças nem barômetros. Que a importância de uma coisa há que ser medida pelo encantamento que a coisa produza em nós…” – Manoel de Barros

Encantamento e euforia que se revelam na fala dos alunos e alunas:

“Olha…  já está aparecendo folhinha no rabanete!”
“Gente, vem aqui ver como a folha da couve cresceu!”
“Corre, corre, já está aparecendo o vermelhinho do rabanete!”
“A mandioca que colhemos é uma raiz, como o rabanete! Elas nasceram debaixo da terra”

Você também pode se interessar
Tags: ,

Posts similares

Menu