Tecnologia Educacional

Cidadania Digital: precisamos falar sobre isso

Com o avanço da presença dos meios digitais no nosso cotidiano, é fundamental trazer para dentro da escola a discussão sobre o comportamento nesses ambientes. É por isso que o Santa Maria desenvolve uma série de atividades envolvendo temas relacionados à Cidadania Digital. A comunidade escolar inteira é convidada a participar!

Autoria: Aghata Lima, supervisora de Tecnologia Educacional do Santa Maria

Foi na Grécia Antiga que surgiu a palavra “cidadania”. Naquela época, apenas os homens livres e nascidos na Grécia eram considerados cidadãos e tinham como direito a participação nas decisões políticas daquela sociedade. Muito tempo depois, sob influência das revoluções francesa e americana, o mundo passa a interpretar a cidadania de uma nova maneira. Agora ela é, de forma resumida, identificada como a prática de direitos e deveres que uma pessoa deve exercer ao viver em comunidade. Nessa nova compreensão, as relações são pautadas na ética e na responsabilidade para o bem comum e o desenvolvimento coletivo.

Desde o último século, as tecnologias da informação, a comunicação e a internet impactaram profundamente nossas relações e decisões políticas. Assim, um novo conceito surgiu: a Cidadania Digital. Mike Ribble, diretor de tecnologia em escolas públicas de Manhattan, em 2004, definiu cidadania digital como “normas de comportamento em relação ao uso da tecnologia”.

Relação entre cidadania digital e escola

Ainda de acordo com Ribble, o termo Cidadania Digital é uma espécie de “guarda-chuva” que acolhe assuntos pertinentes ao ensino, como Etiqueta (normas de comportamento na internet), Comunicação (troca de informações), Educação (ensino da Tecnologia Digital) e Segurança (bem-estar físico e autoproteção eletrônico).

A escola é um espaço que promove situações de aprendizagem para crianças e adolescentes, famílias e colaboradores no que diz respeito ao desenvolvimento intelectual, social e também ético. Sua missão maior é contribuir na formação de pessoas para a vida em sociedade de forma crítica, criativa e transformadora. Sendo assim, o Santa Maria entende que a abordagem da Cidadania Digital de forma prática no espaço educacional é importantíssima. Deve ser constituída por orientações, campanhas e atividades que visam desenvolver a consciência sobre o exercício responsável dos direitos e deveres na internet não apenas pelos educandos, mas por toda a comunidade escolar.

Há alguns anos, o Colégio realiza encontros para discutir temas como superexposição na internet e cyberbullying com alunos e suas famílias. Em 2021, com o objetivo de abranger temas da Cidadania Digital e incluir mais ações sobre segurança, ética e responsabilidade na internet, foi elaborado um projeto maior, iniciado no Dia Internacional da Internet Segura com o lançamento da série “Sou um Cidadão Digital?”, que aborda, de maneira divertida, assuntos sobre a internet e dá dicas de segurança e boas práticas. Confira: https://bityli.com/qFuKf

Ações com familiares

O movimento seguiu com o ciclo de encontros para familiares e educadores de pré-adolescentes e adolescentes com o tema autorregulação e segurança. Veja as palestras aqui: https://bityli.com/l6sGB

Outra estratégia utilizada foi a elaboração de um infográfico para orientar pais e responsáveis no apoio das atividades e aulas remotas de seus filhos, visando a uma contribuição para o desenvolvimento da autonomia, protagonismo e fluência digital dos estudantes.

Trabalho com os alunos

Com os estudantes, a inclusão do tema no currículo e abordagem nas aulas de tecnologia ou dos demais componentes já produzem efeitos práticos com os diálogos e reflexões quanto às ações na internet.

Nas séries iniciais, as propostas são de prevenção, a exemplo da atividade realizada com o 2º ano intitulada “Exploradores Digitais – em busca da informação perdida”. Nela, as turmas tiveram desafios como a construção de uma bússola usada durante suas “expedições” na internet. “Conectados” é o título do site desenvolvido pelo 5º ano com o objetivo de noticiar o que acontece no mundo, apurando as informações com criticidade e atenção às fake news. Com turmas do 6º ao 9º, discussões em assembleias são palco para Cidadania Digital.

Os projetos das séries dão espaço para abordar temas como preconceito, cyberbullying, discurso de ódio, assédio e outros crimes virtuais. As ações se estendem também ao falar sobre superexposição e respeito aos direitos de proteção à imagem e aos dados de todos.

E os professores?

Formações com professores também abriram espaço para conversas transparentes e norteadoras, orientando a equipe docente do Santa Maria sobre segurança, privacidade nas redes sociais e cuidados na escolha e utilização de aplicativos para aprendizagem que sigam as normas da COPPA – Children’s Online Privacy Protection Rule (regra de proteção à privacidade online infantil, em tradução livre). Também elaboramos um Guia Prático sobre Segurança para os profissionais de ensino consultarem informações sempre que precisarem.

Fato é que a abundância de informações publicadas diariamente na internet e os constantes avanços tecnológicos exigem cada vez mais habilidades como autocontrole e criticidade ao consumir, disseminar, comunicar ou criar informações e tecnologias de maneira ética e responsável.

Estas são algumas das características necessárias de um(a) cidadão(ã) do nosso tempo. E você, já exerce sua cidadania no mundo digital?

Você também pode se interessar
Tags:

Posts similares

Menu